FAB abre mão de área com casas no bairro Paraviana após impasse judicial por terrenos em Boa Vista

Governo propõe salário mínimo de R$ 1.502 em 2025
Policial militar morre após perder controle de moto e ser atropelado por uma caçamba em Boa Vista
Motociclista morre após ser atingido por carro dirigido por jovem bêbado no Sul de Roraima
Desenvolve RR faz prospecção de clientes durante feira em Normandia

A Força Aérea Brasileira (FAB) renuncia a direitos territoriais no bairro Paraviana, zona Leste de Boa Vista, onde mais de mil famílias residem. Há um impasse judicial na região que persiste desde 1997, totalizando 26 anos, em virtude de uma reivindicação de propriedade por parte da União. A portaria oficializando essa decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) nesta terça-feira (17) e traz a assinatura do comandante da FAB, tenente-brigadeiro Marcelo Kanitz Damasceno.

No documento, o comandante da Aeronáutica autoriza a “reversão de fração de área de Imóvel da União”, termo que geralmente se aplica quando uma parte de um imóvel é devolvida ao proprietário legítimo. O processo de transferência da área da FAB para outra entidade deve ser conduzido pelo Destacamento de Infraestrutura da Aeronáutica de Manaus.

Essa decisão da FAB ocorre quase dois meses após uma determinação da Justiça Federal que exigiu que uma família deixasse a residência onde vivia há 33 anos. Agora, com a renúncia da FAB, a gestão da área passa para a responsabilidade da Superintendência do Patrimônio da União no Amazonas.

A região disputada até então pela FAB compreende mais de 123 hectares no bairro Paraviana, totalizando 40 quadras. Uma das famílias que enfrentou uma ordem de despejo foi a da servidora pública Nayra Barbosa, de 35 anos. Apesar do documento mencionar uma “determinação de imediata desocupação compulsória,” esta não se concretizou.

Nayra expressou que só acreditará no fim do impasse quando o processo estiver completamente resolvido, afirmando: “Eu só acredito depois que já tiver tudo certo, quando já tiver na mídia, quando já tiver ok, quando eles já falarem que a gente não tem mais processo nenhum. Mas é um grande avanço.”

Com essa nova medida da FAB, o G1 procurou o Tribunal Regional Federal (TRF), onde o caso está em tramitação, para saber se a renúncia da Força Aérea Brasileira resultou na extinção do processo de despejo, mas até o momento não obteve resposta.

Está gostando do conteúdo ? Compartilhe!

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email
Print

Confira mais ...

Empresário e funcionária pública acusados de estupro de vulnerável são presos pela polícia
Governo contratará psicólogos, assistentes sociais e nutricionistas para atender rede estadual de ensino
ALE-RR discute políticas públicas em visita de diretor da Casa de Governo a Roraima
Governo propõe salário mínimo de R$ 1.502 em 2025
Empreendedores participam de oficina sobre Microcrédito Consciente
PRF em Roraima apreende arma de fogo, ouro, minérios e combustível contrabandeado
Curso de edição de fotos e vídeos para celular aprimora habilidades de servidores da ALE-RR
Policial militar morre após perder controle de moto e ser atropelado por uma caçamba em Boa Vista