960x300

Roraima recebe 16 blindados do Exército para reforçar segurança na fronteira com Venezuela

Aprovado PL que reduz cálculo-base do ICMS em produtos importados via remessas postais ou expressas
Revisão de dados indica recuo em número de jovens nem-nem
Governo propõe salário mínimo de R$ 1.502 em 2025
Policial militar morre após perder controle de moto e ser atropelado por uma caçamba em Boa Vista

Na última terça-feira (2), Roraima recebeu um reforço significativo para a segurança na fronteira com a Venezuela, com o envio de 16 viaturas blindadas do Exército Brasileiro. A medida ocorre em meio à tensão entre Venezuela e Guiana pela região de Essequibo. As viaturas, modelo guaicuru, percorreram 6 mil quilômetros desde Cascavel, Paraná, até Boa Vista, Roraima, por vias fluviais e terrestres.

O deslocamento das viaturas faz parte do Plano Estratégico do Exército para fortalecer a prontidão operacional e logística do Comando Militar da Amazônia, em resposta à atual conjuntura geopolítica na fronteira norte. O ministro da Defesa, José Múcio, destacou que a operação já estava planejada para combater o garimpo na região, mas que as viaturas também contribuirão para a segurança diante das tensões na fronteira.

As viaturas, do modelo VBMT-LSR 4X4 LMV-BR, foram integradas ao 18º Regimento de Cavalaria Mecanizado. A ação reafirma o comprometimento do Exército Brasileiro em garantir uma presença robusta e eficiente na Região Amazônica.

A disputa pela região de Essequibo entre Venezuela e Guiana, com sua origem em um laudo de 1899, intensificou-se no último ano. O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, promoveu um referendo sobre a anexação de Essequibo, alegando historicidade da região. A Guiana, por sua vez, baseia sua reivindicação em um laudo internacional de 1899 que estabeleceu as fronteiras atuais.

A região disputada é estratégica, com descobertas de reservas significativas de petróleo em 2015. A Guiana, impulsionada por suas reservas, tornou-se o país sul-americano de maior crescimento nos últimos anos. O território em questão representa 70% do atual território guianense e tem sido motivo de tensões entre os países envolvidos.

Está gostando do conteúdo ? Compartilhe!

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email
Print

Confira mais ...

PF prende passageiro em flagrante por crime de usurpação de bens da União
Revisão anual dos servidores estaduais vai ser discutida durante audiência pública na ALE-RR
Aprovado PL que reduz cálculo-base do ICMS em produtos importados via remessas postais ou expressas
PRF apreende semirreboque adulterado em Roraima
Sindicatos de servidores estaduais solicitam apoio de presidente da ALE-RR para reajuste salarial
PRF prende motorista por Uso de Documento Falso no Cantá
Assembleia Legislativa cria comissão especial para apurar indícios de irregularidades no Governo de Roraima
População pode sugerir prioridades de investimento para Roraima