MPRR move ação contra ex-prefeito e ex-secretário por desvio de milhões em empréstimos Consignados

Governo propõe salário mínimo de R$ 1.502 em 2025
Policial militar morre após perder controle de moto e ser atropelado por uma caçamba em Boa Vista
Motociclista morre após ser atingido por carro dirigido por jovem bêbado no Sul de Roraima
Desenvolve RR faz prospecção de clientes durante feira em Normandia

O Ministério Público do Estado de Roraima (MPRR) tomou medidas legais ao ajuizar uma Ação Civil Pública por improbidade administrativa envolvendo o Município de Rorainópolis e dois indivíduos: o ex-prefeito da cidade, Leandro Pereira da Silva, e o ex-secretário municipal de Finanças, Samuel dos Santos Moraes.

A ação foi apresentada na última sexta-feira, 7 de outubro, pela Promotoria de Justiça de Rorainópolis, devido à ausência de repasses das parcelas relacionadas a empréstimos consignados à Caixa Econômica Federal.

De acordo com a ação, o município efetuava descontos nos contracheques dos servidores em relação aos empréstimos, porém, esses valores não eram repassados à instituição bancária desde 2018. Segundo as investigações, Leandro Pereira e Samuel dos Santos retiveram e desviaram um montante atual de R$ 5.093.490,68 (cinco milhões, noventa e três mil, quatrocentos e noventa reais e sessenta e oito centavos) provenientes de empréstimos contratados pelos servidores.

O Promotor de Justiça André Felipe Bagatin enfatiza que, na qualidade de prefeito e secretário de Finanças, os réus eram diretamente responsáveis pelos pagamentos dos empréstimos consignados.

“Os cofres públicos municipais, já fragilizados, agora possuem uma dívida significativa com a Caixa Econômica. Essa situação preocupante persiste por anos, sem a adoção de medidas concretas pelos réus para saná-la. Os valores descontados são rendimentos pessoais dos servidores, que deveriam ter sido repassados ao banco. Isso sugere apropriação ou desvio por parte dos acusados”, observou o Promotor de Justiça.

Além disso, a Ação do MPRR também busca uma condenação do município para o pagamento de indenizações por danos morais aos servidores públicos prejudicados, estimados em R$ 15.000,00 por vítima.

Conforme mencionado pelo Promotor de Justiça, também foi iniciada uma investigação de peculato em relação aos envolvidos.

Está gostando do conteúdo ? Compartilhe!

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email
Print

Confira mais ...

Empresário e funcionária pública acusados de estupro de vulnerável são presos pela polícia
Governo contratará psicólogos, assistentes sociais e nutricionistas para atender rede estadual de ensino
ALE-RR discute políticas públicas em visita de diretor da Casa de Governo a Roraima
Governo propõe salário mínimo de R$ 1.502 em 2025
Empreendedores participam de oficina sobre Microcrédito Consciente
PRF em Roraima apreende arma de fogo, ouro, minérios e combustível contrabandeado
Curso de edição de fotos e vídeos para celular aprimora habilidades de servidores da ALE-RR
Policial militar morre após perder controle de moto e ser atropelado por uma caçamba em Boa Vista