MP pede bloqueio dos bens de Sergio Moro

MP pede bloqueio de bens de Moro
Desenvolve RR faz prospecção de clientes durante feira em Normandia
Roraima recebe 16 blindados do Exército para reforçar segurança na fronteira com Venezuela
Governo de Roraima impulsiona produção rural e agronegócio com expressivos investimentos
Carro pega fogo em semáforo após manutenção elétrica

Em ofício enviado ao ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União (TCU), o subprocurador-geral do Ministério Público, Lucas Furtado, alega a necessidade de investigação sobre suposta sonegação. Declarar como indisponíveis os bens do ex-ministro da Justiça e ex-juiz da Lava-Jato, Sergio Moro, seria uma maneira de garantir a apuração.

pré-candidato do Podemos à Presidência da República seria investigado a respeito dos pagamentos que recebeu da consultoria Alvarez & Marsal, responsável pela administração judicial de empresas condenadas pela Lava-Jato. Moro declarou ter recebido R$ 3,5 milhões por um ano de trabalho na empresa. Para o procurador, “há risco da inviabilização do ressarcimento e do recolhimento de tributos aos cofres públicos”, caso o TCU não investigue as contas do ex-juiz.

O subprocurador relata, no ofício, inconsistência dos documentos comprobatórios apresentados pelo ex-juiz. Além disso, Furtado ressalta a necessidade de se averiguar a existência da Declaração de Saída Definitiva do País, o visto norte-americano para trabalho, a tributação pelo lucro real pela empresa, além de averiguar uma suposta utilização de “pejotização” de Moro para redução de tributação incidente sobre os pagamentos.

Furtado solicita, ainda, que o TCU exija que Moro apresente a íntegra dos dois contratos, um celebrado pela Moro Consultoria com A&M-Brazil-DI e outro celebrado por Sergio Fernando Moro com A&M-US-DI. Segundo ele, essa seria a “única forma de comprovar a remuneração pactuada, uma vez que os recibos isolados (além de inconclusivos no caso dos emitidos nos EUA) provam os valores neles registrados, mas não a inexistência de outros, referentes a verbas da mesma ou de outra natureza”.

Na semana passada, Moro informou em uma live os valores que recebeu, explicou que tudo foi declarado nos Estados Unidos e que será declarado também no imposto de renda do Brasil.

Fonte: Correio Braziliense

Está gostando do conteúdo ? Compartilhe!

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email
Print

Confira mais ...

Cooperação entre PF e Polícia da Guiana promove captura de foragidos brasileiros em Georgetown
Detran-RR restitui valores para motoristas de veículos leiloados a partir de 2020
Atricon e TCERR incentivam apoio à campanha “Se Renda à Infância” 2024
Soldado Sampaio explica motivações para rompimento político com governador Antonio Denarium
PRF em Roraima prende motorista por cinco crimes diferentes
Desenvolve RR faz prospecção de clientes durante feira em Normandia
Festival da Melancia é sucesso em Normandia
Prefeitura abre período de matrículas para vagas em escolas conveniadas