Meta ameaça remover Facebook e Instagram de toda a Europa

Governo propõe salário mínimo de R$ 1.502 em 2025
Policial militar morre após perder controle de moto e ser atropelado por uma caçamba em Boa Vista
Motociclista morre após ser atingido por carro dirigido por jovem bêbado no Sul de Roraima
Desenvolve RR faz prospecção de clientes durante feira em Normandia

Meta, empresa que controla os serviços e produtos chefiados por Mark Zuckerberg, indicou que pode deixar de oferecer as redes sociais Facebook e Instagram em toda a Europa.

O cenário ainda é bem abstrato e é visto como blefe por setores da indústria, mas realmente consta como uma das possibilidades em um relatório enviado pela empresa ao Securities and Exchange Commission (SEC), órgão regulador e fiscalizador dos Estados Unidos.

O que aconteceu?

O problema estaria em uma recente lei europeia que impede ou restringe que dados gerados na Europa sejam armazenados, processados e compartilhados por meio de servidores estrangeiros — no caso da Meta, aqueles situados nos Estados Unidos.

A companhia considera essencial a utilização de dados cruzados entre regiões e serviços para a disponibilização de anúncios personalizados e outros negócios. Essa nova legislação da União Europeia prejudicaria tanto a parte técnica quanto financeira da empresa, o que a levou a fazer a consideração mais pessimista possível.

Redes sociais

Meta pode “remover” as redes sociais Facebook e Instagram do território europeu.

“Se não estivermos aptos a transferir dados entre e por continentes ou regiões em que operamos, ou se houver restrição em compartilhar dados entre nossos produtos e serviços, isso pode afetar a habilidade de garantir nossos serviços (…) Nós possivelmente podemos ser impedidos de oferecer uma quantidade de nossos serviços e produtos mais significativos na Europa, incluindo Facebook e Instagram”, diz o documento.

Pode dar ruim?

Consultado posteriormente para comentar a declaração, um executivo da Meta confirmou a hipótese e disse que a empresa busca “de boa fé” uma resolução para uma troca de dados mais segura sem comprometer a navegação dos consumidores. A ideia é que um novo acordo seja encaminhado entre empresa e governos ainda em 2022.

Vale lembrar que, recentemente, o Facebook registrou a primeira queda de sua história em usuários únicos diários, o que fez as ações da companhia caírem consideravelmente.

Fonte: Tecmundo

Está gostando do conteúdo ? Compartilhe!

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email
Print

Confira mais ...

PF deflagra operação para combater desvio de recursos da Secretaria Estadual de Saúde de Roraima
Polícia Civil prende homem condenado por estupro de crianças
Abertas vagas para processo seletivo de bolsistas para Embrapa RR
Polícia Civil cumpre cinco mandados de prisão preventiva contra acusados de homicídio em Alto Alegre
FICCO-RR PRENDE UMA PESSOA POR TRÁFICO DE DROGAS EM BOA VISTA
Polícia Civil cumpriu mandados de prisão e apreensão para esclarecer morte de casal
PL que altera lei de regularização fundiária de Roraima possui 37 emendas propostas por comissão especial da ALE-RR
Polícia Civil esclarece fraude Imobiliária, localiza suspeito de estelionato e apreende veículos