Dinamarca decreta o fim da pandemia de Covid-19

Dinamarca decreta fim da pandemia
Policial militar morre após perder controle de moto e ser atropelado por uma caçamba em Boa Vista
Motociclista morre após ser atingido por carro dirigido por jovem bêbado no Sul de Roraima
Desenvolve RR faz prospecção de clientes durante feira em Normandia
Roraima recebe 16 blindados do Exército para reforçar segurança na fronteira com Venezuela

A Dinamarca levantou a maioria das restrições relativas à pandemia de Covid-19, rebaixando a doença de pandemia para “socially critical disease” (doença socialmente crítica na tradução literal). Agora não é mais preciso apresentar testes da doença para entrar no país se estiver vacinado com qualquer vacina aprovada pela OMS, nem usar máscara em locais públicos.

O país é o primeiro do continente europeu a seguir uma tendência que vem se consolidando: aceitar que iremos conviver com o vírus, agora protegidos pela vacina (a Dinamarca já vacinou totalmente 81,1% da sua população adulta) – recentemente o México levantou todas as suas restrições relativas à Covid-19.

Ainda que os casos da variante ômicron estejam aumentando, a Dinamarca tem visto uma queda no número de internações por casos graves, em razão da alta taxa de vacinação.

Com isso o uso da máscara deixa de ser obrigatório em bares, restaurantes, lojas e também no transporte público. Ela segue recomendada apenas em hospitais, clínicas e casas de repouso.

“Eu não ouso falar que é um adeus definitivo para as restrições” disse a primeira-ministra dinamarquesa Mette Frederiksen, complementando que “não sabemos o que vai acontecer no outono ou se haverá uma nova variante”.

Dinamarca agora aceita todas vacinas aprovadas pela OMS

Junto com o fim das restrições, veio também também o reconhecimento de todas as vacinas aprovadas pela OMS, o que inclui a Covishield e a Coronavac.

Confira a lista completa das vacinas aprovadas pela Dinamarca:

  • Pfizer/BioNTech
  • Moderna
  • AstraZeneca (inclusive Covishield)
  • Janssen
  • Covaxin
  • Sinovac (Coronavac)
  • Sinopharm

Os viajantes totalmente vacinados com estas vacinas há até 270 dias da segunda dose ou 284 da dose única não precisarão apresentar exames negativos para Covid nem antes da viagem, nem após a chegada, nem tampouco fazer quarentena. Basta apresentar o comprovante de vacinação.

Quem não tiver sido vacinado mas puder comprovar que foi infectado há pelo menos 11 dias e no máximo 180 dias (com teste RT-PCR positivo) também pode entrar livremente.

Já os não vacinados que não tiverem a infecção terão que apresentar teste de antígeno ou RT-PCR negativo realizado 24h da chegada, fazer quarentena por 10 dias e novo teste nas 24h após entrar na Dinamarca.

Novas regras de entrada de brasileiros na Dinamarca:

  1. Vacinados: viajantes totalmente vacinados há até 270 dias da segunda dose ou 284 dias da dose única com qualquer vacina aprovada pela OMS podem entrar apresentando apenas o comprovante de vacinação;
  2. Recuperados: contagiados há pelo menos 11 dias e no máximo 180 dias, entram mostrando o teste RT-PCR positivo;
  3. Não-vacinados: apresentar teste negativo para Covid-19 realizado até 24h antes da chegada, realizar novo teste nas primeiras 24h no país e fazer quarentena de 10 dias após entrar na Dinamarca.

Fonte: Melhores Destinos

Está gostando do conteúdo ? Compartilhe!

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email
Print

Confira mais ...

Policial militar morre após perder controle de moto e ser atropelado por uma caçamba em Boa Vista
Motociclista morre após ser atingido por carro dirigido por jovem bêbado no Sul de Roraima
Cooperação entre PF e Polícia da Guiana promove captura de foragidos brasileiros em Georgetown
Detran-RR restitui valores para motoristas de veículos leiloados a partir de 2020
Atricon e TCERR incentivam apoio à campanha “Se Renda à Infância” 2024
Soldado Sampaio explica motivações para rompimento político com governador Antonio Denarium
PRF em Roraima prende motorista por cinco crimes diferentes
Desenvolve RR faz prospecção de clientes durante feira em Normandia