Agência de Defesa Agropecuária de Roraima Realiza Coleta de Amostras em Gado para Monitoramento da Febre Aftosa

Governo propõe salário mínimo de R$ 1.502 em 2025
Policial militar morre após perder controle de moto e ser atropelado por uma caçamba em Boa Vista
Motociclista morre após ser atingido por carro dirigido por jovem bêbado no Sul de Roraima
Desenvolve RR faz prospecção de clientes durante feira em Normandia

No início deste mês, a Agência de Defesa Agropecuária de Roraima (Aderr) deu início a um importante processo de coleta de soro sanguíneo em bovinos e bubalinos, com o objetivo de confirmar a ausência da febre aftosa no estado. A operação está sendo realizada em 11 propriedades situadas na zona de proteção, na região de Pacaraima, que faz fronteira com a Venezuela, no extremo Norte do Brasil.

A meta estabelecida é a coleta de 400 amostras até o dia 30 de setembro. Todas as amostras serão cuidadosamente enviadas para análise no Laboratório Federal de Defesa Animal, localizado no Rio Grande do Sul. O propósito fundamental desta análise é verificar a presença de anticorpos contra a febre aftosa no rebanho de Roraima.

No caso de amostras que apresentem resultados inconclusivos, o médico veterinário e chefe do Programa Estadual de Vigilância da Febre Aftosa, Marcos Duarte, enfatiza que uma nova coleta, conhecida como “pareada,” será realizada para fins comparativos e garantia de precisão dos resultados.

Conforme as diretrizes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a coleta de amostras é realizada em animais com idade compreendida entre 6 e 24 meses. O presidente da Aderr, Marcelo Parisi, ressalta que é nessa faixa etária que os animais são mais suscetíveis à doença.

A zona de proteção, uma área de vigilância estratégica, requer uma atenção especial. Composta por cerca de 12 propriedades situadas na linha de fronteira, a Aderr mantém um posto fixo de controle operando 24 horas por dia na saída da cidade. Isso tem como propósito monitorar e controlar a movimentação de animais e produtos de origem animal sem procedência, que possam representar riscos de introdução do vírus da febre aftosa. Importante destacar que a Venezuela é considerada pela Organização Mundial da Saúde Animal como uma área de risco desconhecido para essa doença.

Roraima abriga um considerável rebanho de bovinos e bubalinos, contabilizando um total de 1.000.879 (um milhão oitocentos e setenta e nove) animais, de acordo com informações fornecidas pelo governo do estado. Este esforço empreendido pela Aderr reforça o compromisso com a segurança da saúde animal e a manutenção do status sanitário do estado, garantindo a qualidade da produção agropecuária e o bem-estar da população.

Está gostando do conteúdo ? Compartilhe!

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Telegram
Email
Print

Confira mais ...

PF deflagra operação para combater desvio de recursos da Secretaria Estadual de Saúde de Roraima
Polícia Civil prende homem condenado por estupro de crianças
Abertas vagas para processo seletivo de bolsistas para Embrapa RR
Polícia Civil cumpre cinco mandados de prisão preventiva contra acusados de homicídio em Alto Alegre
FICCO-RR PRENDE UMA PESSOA POR TRÁFICO DE DROGAS EM BOA VISTA
Polícia Civil cumpriu mandados de prisão e apreensão para esclarecer morte de casal
PL que altera lei de regularização fundiária de Roraima possui 37 emendas propostas por comissão especial da ALE-RR
Polícia Civil esclarece fraude Imobiliária, localiza suspeito de estelionato e apreende veículos